poeiraCast 386 – One-Album Wonders
por Bento Araujo     26 set 2018

Bandas ou artistas que tenham lançado apenas UM álbum. E que este, no caso, tenha sido maravilhoso. Tópico inspirado por uma lista da revista Rolling Stone norte-americana.

Torne-se um apoiador do poeiraCast e ajude a manter o podcast semanal da poeira Zine no ar. Saiba mais clicando AQUI.

Agradecimentos especiais aos apoiadores: Artur Mei, Bruno Santos, Caio Bezarias, Carlos Albornoz, Claudio Rosenberg, Douglas Carvalho, Ernesto Sebin, Flavio Bahiana, Lindonil Reis, Luis Araujo, Luis Kalil, Luiz Paulo, Marcio Abbes, Marcos Oliveira, Pedro Furtado, Rodrigo Lucas, Rossini Santiago, Rui Silva, Válvula Lúdica, Wilson Rodrigues, Zozimo Fernandes.

Baixe esta edição do poeiraCast
  1. Marcelo de Almeida Garcia

    One-Album Wonders:

    Alusa Fallax
    L’Uvo di Colombo
    Quarteto Novo
    Demon Fuzz
    Campo di Marti
    Armando Tirelli
    Aeroblus
    Apoteosi
    Blind Faith
    Buon Vecchio Charlie
    Fuzzy Duck
    Kahvas Jute
    Nosferatu
    Perfume Azul do Sol
    Robert Johnson
    Semiramis
    Zarathustra

    Responder
    1. Ricardo Alpendre

      Orra, belíssima lista! Tem uns de que eu gotaria de ter lembrado. Se lembrasse do Aeroblus talvez tivesse citado como um dos melhores. Mas o Robert Johnson se for considerar a primeira coletânea um álbum então, ele tem dois, porque uns dez anos depois saiu o segundo. Aliás adoro esses discos. =D

      Responder
  2. Roberto Arara

    Salve galera do poeira, belo programa. Não dá prá falar que esqueceram de alguma coisa, porque o numero de bandas legais que lançaram apenas um disco é infinito, então vou apenas citar algumas que gosto muito, alem das que voces citaram, antes ,só pra constar, Armageddon realmente é foda, esse comprei nos anos 70 mesmo, até hoje um dos discos da minha vida.
    só as que me causaram impacto quando ouvi. Goodthunder, Algarnas Tradegard, eles lançaram um segundo disco recentemente, mais de 40 anos depois do primeiro, náo cheguei a ouvir,.e Estus, banda do Mark Bell depois de sair do Dust, disco de 73 fantástico, na mesma linha do Dust.
    Nacionais, eu citaria o Bacamarte, o Karisma dos meus amigos Lechonsky, e o Peso, que sei que voces não gostam, mas eu adoro.
    E pra finalizar , sei que provavelmente nenhum de voces deve gostar, mas eu adoraria que as 4non blondes tivessem durado mais e gravado mais, adoro elas, (os discos solo da Linda Pery são inacreditáveis) é que eu amo bandas femininas, o Birtha por exemplo esta no meu top5 de bandas de todos os tempos, e o Purple não, só pra voces fazerem uma idéia, e eu amo o Purple, mas só tem 5 lugares no top…
    É isso camaradas. abraços e até quarta.

    Responder
      1. Roberto Arara

        Será mesmo? parece que só ouvi o Bento dizendo que gosta. De uma certa forma até dá pra entender, voces já falaramvarias vezes sobre isso, eu ouvi peso com 13, 14 anos, provavelmente se eu tivesse conhecido depois dos 30,ñão seria a mesma coisa, como rock nacional anos 80, eu não gosto de quase nada porque eu não era mais garoto nessa época.sei que voce sabe do que eu to falando. abraço Brou.

        Responder
  3. Roberto Arara

    Me lembrei de outra coisa, O contrario tambem é interessante, fica a dica pra um comentário nm pod futuro. Bandas que gravaram um primeiro disco legal, e NÂO DEVERIAM ter gravado novamente.
    Minha pior experiencia: Estavamos em 1980,eu tinha o fantástico lp MANDALABAND de 75, folk prog britanico, acreditava ser o unico lp deles. Lendo um livro gringo de prog, tinha a resenha de um segundo disco deles , THE EYE OF WENDOR, de 78, olha o nome da coisa, com participações do Justin Hayward, Maddy Pryor, Lol Creme, Noel Redding, Grahan Goulman, Kevin Godley, Eric Stewart, entre outros,eu fiquei louco, sai atras ,e ninguem nunca tinha ouvido falar, foram alguns anos procurando, não tinha internet, pra ouvir so arrumando o disco. Muito tempo depois,O Eric, de Pinheiros ,que já tinha me conseguido os May Blitz, Bang, alguns Budgie, foi pra Londres com uma lista de encomendas, e me trouxe o disco. Quando chegou eu nem fui trabalhar, não dava pra esperar até sabado,fui buscar o disco , que me custou mais de 100 dolares na época, e corri ouvir. Um disco horrivel, pop chatissimo, eu ouvi inteiro, fui pro quintal, juntei papel, papelão, alcool, coloquei fogo , e fiquei vendo aquela merda queimar e derreter. Hoje eu não queimaria, mas tambem não ouviria de novo, alguns anos atras ,ganhei um em cd e arrisquei ouvir, continuo achando horrivel.fim.

    Responder
  4. João

    Sobre o Sérgio ter esquecido os discos solo do Entwistle, ele me vendeu o Smash Your Heads na época da Jardim Elétrico, falou bem demais, e o disco realmente é fora de série. Mas não me lembro de vocês terem feito comparações entre os solos do Who, senão alguém com certeza lembraria dele!

    Responder
  5. José Carlos Soares

    Ótimo programa. Outros não citados…

    “Colossal youth- young marble giants”

    Pazop- “Psychillis of a lunatic of genius”- (provavelmente o meu disco preferido feito por uma banda desconhecida, único trabalho dessa excelente banda belga.Aliás, quem sabe as bandas de lá mereçam um programa dedicado a elas. Pazop, Waterloo…ou por extensão, bandas dos países baixos).

    Leno(bom disco produzido pelo Raul Seixas, recém relançado em vinil em uma bela edição)

    Karma (obra prima, talvez o melhor álbum em que o Jorge Amiden tenha se envolvido).

    Jackson C. Frank – Único álbum desse ótimo cantor folk de vida trágica…

    Responder
  6. Luis

    Ótimo programa, como sempre. Depois desse poderia rolar um
    sobre discos engavetados, como o “Hitchhiker” do Neil Young e o “The Lost Trident Sessions” da Mahavishnu Orchestra.
    Aproveitando a mensagem, na opinião de vocês, qual seria o melhor álbum de estreia do Rod Evans: Shades of Deep Purple ou Captain Beyond?

    Responder

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *