poeiraCast 446 – Escapadas religiosas
por Bento Araujo     04 mar 2020

Quando artistas do rock e da música pop deram suas “escapadas” para  a temática religiosa ou para exaltar suas crenças, seja em uma fase da carreira, em álbuns, ou mesmo em músicas eventuais.

Depois de mais de dez anos de estrada e mais de 440 episódios online, o poeiraCast precisa do seu apoio para continuar no ar. Seja um assinante/apoiador do poeiraCast e faça parte desta história. Para realizar o seu apoio e saber mais sobre as recompensas, acesse catarse.me/poeiracast

Agradecimentos especiais aos apoiadores:

Antonio Neto, Artur Mei, Bruno Pugliese, Caio Bezarias, Carlos Albornoz, Claudio Lojkasek, Claudio Rosenberg, Eduardo Alpendre, Ernesto Sebin, Felipe de Paula, Fernando Padilha, Flavio Bahiana, Hélio Yazbek, João Martins, Lindonil Reis, Luís Araújo, Luís Porto, Marcelo Zarra, Marcos Cruz, Matheus Pires, Mauricio Pires, Nei Bahia, Rafael Campos, Raimundo Soares, Ricardo Caserta, Ricardo Nunes, Vandré dos Santos, Victor Bernardes e Zózimo Fernandes.

Importante: o poeiraCast somente irá continuar se atingirmos a meta mínima da campanha.

Ouça o poeiraCast também pelo Spotify, Deezer, iTunes e diversos apps de podcast.

Baixe esta edição do poeiraCast
  1. Diogo Maia de Carvalho

    Olá a todos do poeiracast. Sobre o assunto principal: o Bento, ao comentar a respeito dos músicos de Metal que são cristãos, não falou do Tom Araya e do Dave Lombardo, do Slayer. Inclusive o pai do Araya era pastor evangélico e não aprovava a carreira musical do filho numa banda de temática satânica. E pra terminar, lembro também do Rodolfo, dos Raimundos, que virou ministro pentecostal.

    No duelo de gigantes, faço das palavras do José as minhas: se fosse qualquer outro álbum do Miles, eu votaria na Band of Gypsys, mas o Bitches Brew é o meu disco favorito dele, então fico com o do Miles, apesar de Machine Gun ter o meu solo favorito do Hendrix.

    Abraços.

    Responder
  2. Ricardo Alpendre

    Antes que alguém lembre antes… =D
    Que loucura! Eu me esqueci de falar do Little Richard, uma das “ultimate escapadas religiosas”, ainda mais que teve a volta à luxúria no estilo “pregação” com “Whole Lotta Shakin’ Goin’ On” em 64…

    Responder
  3. João Cândido

    Grande programa, ótimo tema. Gostaria de lembrar do Terço, que além de ter um toque religioso no próprio nome, gravou a música Deus. A igreja do Coltrane tem um site, parece que eles são bem organizados https://www.coltranechurch.org/

    Queria lembrar também do Dorival Caymmi que compôs a música Canoeiro (que eu acho que é um tipo de tema de trabalho). Em certo momento da música, ele solta “louvado seja deus, ó meu pai”. Ele quer deixar claro que os canoeiros são devotos.

    Valeu, abraço

    Responder
  4. Rene Ferri

    Cliff Richard, né? Se tornou evangélico cristão em meados dos anos 1960, fez-se amigo de Billy Graham, tornou-se pastor, fez voto de celibato, depois, voto de castidade, gravou vários álbuns religiosos.

    Responder

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *