poeiraCast 313 – Punk 77 (40 anos)
por Bento Araujo     15 fev 2017

Curto e grosso, como o próprio som: comemorando as quatro décadas da explosão do Punk Rock em 1977.

Torne-se um apoiador do poeiraCast e ajude a manter o podcast semanal da poeira Zine no ar. Saiba mais clicando AQUI.

Agradecimentos especiais aos apoiadores: Adriano Gatti, Caio Bezarias, Carlos Albornoz, Claudio Rosenberg, Ernesto Sebin, Evandro Schott, Flavio Bahiana, Haig Berberian, Lindonil Reis, Luigi Medori, Luis Araujo, Luiz Junior, Pedro Furtado, Ronaldo Nodari, Rubens Queiroz e William Peçanha.

edifier

Baixe esta edição do poeiraCast
  1. Mario José Pereira

    QUEIRAM OU NÃO FOI uma revolução comercial para sempre qualquer jovem pode tocar 1 só acorde nervoso e palavras de ordem com significado épico hoje esse conceito foi absorvido e já e parte orgânica dos cabeças musicais afinal eles são o SHOW — BOM momento das escolhas STOP THE MUSIC???? afinal são muitas faixas no sulco —seria um ancião punk de 40 hoje ainda com MOICANO ???? boa viagem para a terra de TRUMP BY

    Responder
  2. João Cândido

    Acho que o punk tem mais a ver com estilo, com visual, do que com música propriamente dita. Nesse sentido fica difícil pra quem escuta música (psicodelia, progressivo, jazz rock) se interessar. Claro que psicodelia e prog também tinham seu lado visual, mas era só um detalhe perto do som que os caras faziam. No caso do punk, a música que é o detalhe incidental pra que os caras mostrem “atitude”.

    Tem alguns grupos como Television, Magazine, etc que exploraram outras fronteiras musicais, mas a galera lembra mesmo de Pistols e de Ramones (dois grupos mainstream).

    O pós-punk (que é muito mais musical do que o punk) tem influências de kraut, então por aí se vê que a música sempre acaba prevalecendo.

    Responder
  3. william peçanha

    …Se fosse o caso de me fazerem a pergunta clássica “o que o punk significou para você?” em algum momento eu ORGULHOSAMENTE citaria a resposta mais emblemática que o José de vez em quando solta aí na mesa: NADA!!!!!!
    Um grupelho de moleques a maioria com dentes estragados e promovendo “música” ruim e quebra-quebra não poderia (pôde?) ser levada a sério (a despeito do rebuliço que causaram lá por aqueles lados).
    Como disse o Cândido, e eu concordo, existe muito mais coisas “interessantes” no pós-punk.
    Enfim, sempre gostei de MÚSICA, e isso que esses “espertinhos” faziam NÃO é DEFINITIVAMENTE música e querem saber, NUNCA FUI COM A CARA do tal johnny rotten!
    Mas, há tempos que gostaria de propor um Cruza na Área: O que a mesa acha desses grupos que tentam a todo custo (uns até meio que ridiculamente) substituir seus vocalistas por outros com o mesmo timbre de voz (casos famosos como GENESIS, JOURNEY – esse então!!!, KANSAS, JUDAS PRIEST, e por aí vai)?
    Ah, Bento, você tem planos de ir à Belo Horizonte promover o Livro?
    No mais, abraços à todos e em cada um.

    Responder
  4. Roberto Arara

    Boas galera, essa semana estou ouvindo os poeira casts desse 2017, fiquei um tempo fora do ar, casei nesse meio tempo, e agora to de volta.como sempre ,me divertindo muito com voces. O José disse pela segunda vez eu acho,que meu caro amigo, o Chico fez pro Augusto Boal, cara eu achoque não, me lembro bem da epoca,o proprio Chico dizendo que era pro Luiz Airão, que estava morando nos USA com a esposa Cecilia e os filhos, o Proprio Luiz Airão gravou uma resposta para o Chico algum tempo depois , chamada Caro amigo Chico, deem uma conferida. Abraços a todos aí, Prometi um presente pro Sergio, não esqueci, vou levar em breve. valeu.

    Responder

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *