pZ 48
por Bento Araujo     12 jul 2014

pZ nº 48

Guess Who, Steve Howe, Museo Rosenbach, The Remains, Swamp Dogg, Max Webster etc.

Preço: R$ 14,00

Data de Lançamento: mai/jun de 2013

Formato: A4, miolo PB offset, capa colorida couchê

Número de páginas: 44

GUESS WHO
Falamos com o guitarrista Randy Bachman e o baterista Garry Peterson, que nos ajudaram a passar a limpo a trajetória do Guess Who, a primeira banda canadense a
fazer sucesso no mundo todo. Dos primeiros anos como Chad Allan & The Reflections até os últimos álbuns, com o guitarrista Domenic Troiano. Inclui discografia básica comentada. Ao ler essa matéria você vai constatar que o Guess Who é muito mais do que os hits “These Eyes” e “American Woman”; e que o vocalista Burton Cummings é uma das vozes mais subestimadas do rock.

MUSEO ROSENBACH

Lançado há 40 anos, Zarathustra é considerado por muitos como o melhor disco de rock progressivo lançado por uma banda não britânica. Acusado de ser um conjunto “de direita”, foram obrigados a interromper abruptamente suas atividades logo após o lançamento de Zarathustra. A pZ entrevistou os integrantes originais do Museo Rosenbach para traçar a conturbada trajetória desse gigante do rock progressivo italiano. “A política esmagou a nossa música”

THE REMAINS

De Boston surgiu uma das mais imponentes bandas de garagem dos anos 1960, responsáveis pelo mini-hit “Don’t Look Back” e pela abertura dos shows da última turnê dos Beatles, em 1966.

STEVE HOWE
A pZ entrevistou o guitarrista do Yes, que falou sobre os discos clássicos da banda, seus álbuns solo, suas passagens pelo Tomorrow, Asia e GTR, e seu lendário encontro com Frank Zappa, em 1967.

SWAMP DOGG

O nosso pZ Hero desta edição lançou mais de 20 álbuns e nunca emplacou um grande sucesso, porém, foi contra a Guerra do Vietnã e, com Jane Fonda, entrou para a lista de “perigosos” de Nixon e do FBI. Foi o primeiro produtor negro da Atlantic e também um grande pioneiro ao injetar consciência social e humor na música negra norte-americana.

BANDA DO COMPANHEIRO MÁGICO
A obscura banda baiana capitaneada pelo percussionista Ary Dias (futuro A Cor do Som) é a bola da vez na nossa seção Arquivo Verde Amarelo. Dos primeiros shows em Salvador até a consagração no underground carioca.

MAX WEBSTER

Outro grande grupo canadense que marca presença nesta pZ, em texto do nosso colaborador Leopoldo Rey.

E mais:
Clube da Esquina, The Grass Roots, Highway Robbery, Morly Grey, Ray Manzarek, Trevor Bolder, Älgarnas Trädgård, Estructura, Ragnarok,
Octopus, Marku Ribas e muito mais.