poeiraCast 459 – Grandes discos de 1981
por Bento Araujo 07 abr 2021

Grandes álbuns que estão completando 40 anos de lançamento em 2021 são o assunto deste episódio.

Ouça o poeiraCast também pelo Spotify, Deezer, iTunes e diversos apps de podcast.

Preparamos uma playlist que serve como trilha sonora para este episódio, com músicas que indicamos durante o programa. Ouça aqui!

Depois de onze anos de estrada e mais de 450 episódios online, o poeiraCast precisa do seu apoio para continuar no ar. Seja um assinante/apoiador do poeiraCast e faça parte desta história. Para realizar o seu apoio e saber mais sobre as recompensas, acesse catarse.me/poeiracast

Importante: o poeiraCast somente irá continuar se atingirmos a meta mínima da campanha.

Agradecimentos especiais aos apoiadores:

Alexandre Citvaras, André Gaio, Antonio Neto, Bruno Pugliese, Caio Bezarias, Carlos Albornoz, Cláudio Lemos, Claudio Lojkasek, Claudio Rosenberg, Eduardo Alpendre, Ernesto Sebin, Felipe de Paula, Fernando Padilha, Flavio Bahiana, Hélio Yazbek, Janary Damacena, Lindonil Reis, Luís Araújo, Luís Porto, Luiz Paulo Jr., Marcelo Moreira, Marcelo Zarra, Marcio Abbes, Marcos Oliveira, Matheus Pires, Mauricio Pires, Miguel Brochado, Nei Bahia, Oscar Neto, Pedro Furtado Jr, Rafael Campos, Raul dos Santos, Ricardo Nunes, Rodrigo Acrdi, Rodrigo Lucas, Thatiana Santos, Vagner dos Santos, Vandré dos Santos, Wilson Rodrigues.

Baixe esta edição do poeiraCast
  1. Matheus

    Um disco que 1981 que nunca aparece em lista nenhuma e nem os fãs da banda devem considerar muito mas eu amo é o Pleasant Dreams dos Ramones. Quase um disco power pop, várias baladas bem legais

    Tem também o Faith do Cure e o Juju do Siouxsie and the Banshees, acho que meu favorito deles

    Pior que eu nunca notei influência de rock progressivo no Point of Entry, preciso reouvir. Sempre achei o lado A desse disco bem melhor que o B, que tem umas músicas meio bobinhas

    The Elder do Kiss é um disco confuso, já mostra alguma das influência meio heavy metal que seriam maiores exploradas no Creatures e no Lick it Up (vide o riff de The Oath). Não acho um baita disco mas tbm não é ruim

    Boas as citações do Damaged e do segundo do X, que eu ouvi pela primeira vez nos últimos meses e gostei demais, preciso me aprofundar na discografia deles

    ps: Paulinho Heavy citado no podcast que hoje é um baita de um minion negacionista

    Responder

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *