poeiraCast 439 – Jethro Tull
por Bento Araujo     13 nov 2019

Nosso assunto nesta semana é uma das bandas mais bem sucedidas e influentes do rock progressivo, o Jethro Tull.

Agradecimentos especiais aos apoiadores: Caio Bezarias, Carlos Albornoz, Ernesto Sebin, Flavio Bahiana, João Roberto Tayt, Lindonil Reis, Luis André Araujo, Luis Kalil, Luiz Paulo Jr., Marcelo Moreira, Marcio Abbes, Marco Aurélio, Pedro Furtado Jr., Ricardo Nunes, Rossini Santiago, Válvula Lúdica, Vandré dos Santos, Wilson Rodrigues e Zozimo Fernandes.

Baixe esta edição do poeiraCast
  1. Isidoro Hofacker dos Santos Jr

    Tava demorando um podcast da banda – Tenho ouvido muito ultimamente pois estou tocando algumas deles na minha nova banda. E sinceramente não colocaria na prateleira dos Progressivos, eles atacaram em todos os estilos! É muito som bom!

    Cadê o Tom Waits???

    Responder
  2. Caio Alexandre Bezarias

    Realmente, demorou muito uma edição sobre o Jethro.
    O que dizer que não seja clichê e papo cego de fã, considerando que é meu grupo favorito de todo o rock?…
    Assinaria embaixo quase tudo que disseram sobre os discos e a carreira da banda.
    Há mais de 25 anos que tenho camiseta do grupo: a peça fica velha, vou na Galeria do Rock e compro outra.
    Bem, o assunto pede top five:

    1- Aqualung
    2- Living in the past(que contém a talvez mais bonita canção do grupo e uma das maiores peças de todo o folk inglês, ‘witch´s promisse’)
    3- Too old to rock´n´roll, too young to die
    4- This Was
    5- Thick as a Brick
    (Deixar Songs from the wood de fora foi um crime) E mudei a lista umas três vezes antes de postar, rs rs.
    Menção honrosa a Nightcap, um duplo de 1996, cuja capa é a foto de uma garrafa de uísque(José, não seria esse o disco que você disse, no início do podcast, ser um ao vivo?). Nesse álbum, o primeiro cd é um disco que gravaram em 1973 e ficou inédito até então(!!),conceitual, sobre reencarnação e temas afins(O Jethro Tull atacando de Van der Graaf?…), o segundo, uma coletânea de sobras, raridades e faixas inéditas, um tanto irregular, mas que esconde uma ótima faixa, bem pesada, com belo riff, ‘crew nights’.
    Grande abraço a todos.

    Responder
  3. Isidoro Hofacker dos Santos Jr

    Caras só ouvi hoje, domingão de relax.
    Obrigado a todos pela divulgação do trabalhoda da Ana, principalmente ao José e Júlia

    Tamo junto

    PS Cadê o Tom Waits

    Isso me lembra o “foghat porra” do Régis

    Responder
  4. Arthur

    Olá,

    A música e o disco Too Old To Rock And Roll são de 1976, mas o clipe é de 1980 (ou 1981). É de um vídeo chamado Slipstream, da turnê do “A”. A formação tinha Dave Pegg, Eddie Jobson e o finado Mark Craney (bateria).

    O disco da capa do uísque chama Nightcap. É uma coletânea dupla de 1993. O primeiro disco são gravações, de 1973, chamadas de Chateau D’isater Tapes, quando a banda foi praquele estúdio Château d’Hérouville, na França. Mas deu quase tudo errado por lá. Parte desse material foi parar no Passion Play (73) e no War Child (74). O segundo são faixas raras e não lançadas, gravadas entre 1974 e 1991.

    Responder
  5. monica cristina

    Ouvindo o programa tive a sensação que colocaram o Ricardo no canto escuro do quarto e o liberando no final para o top 5, achei que ia rolar um top 0 ou top salmão (PoeiraCast 23), a participação da Julia foi sensacional mesmo falando baixinho.
    Lembrei que a primeira vez que ouvi a banda foi Rj Tv( jornal local da Globo do Rio de Janeiro) que foi dica cultural na época.

    Responder

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *