poeiraCast 336 – The Cramps
por Bento Araujo     26 jul 2017

Da aventura de um casal de americanos doidos pelo subcultura de seu país, nasceu a banda The Cramps, a mais influente para a criação do psychobilly e uma das grandes aberrações surgidas no estouro do punk e da new wave. A obra de Lux Interior, Poison Ivy e companhia é nosso assunto neste episódio.

Torne-se um apoiador do poeiraCast e ajude a manter o podcast semanal da poeira Zine no ar. Saiba mais clicando AQUI.

Agradecimentos especiais aos apoiadores: Alexandre Guerreiro, Artur Mei, Caio Bezarias, Carlos Albornoz, Claudio Rosenberg, Dario Fukichima, Ernesto Sebin, Evandro Schott, Flavio Bahiana, Luigi Medori, Luis Araujo, Luis Kalil, Luiz Paulo, Marcio Abbes, Pedro Furtado, Ricardo Nunes, Rodrigo Lucas, Rodrigo Teixeira, Ronaldo Nodari, Rubens Queiroz, Scheherazade, Sebastião Junior, Sempre Música, Tropicália Discos, Válvula Lúdica e Wilson Rodrigues.

edifier

Baixe esta edição do poeiraCast
  1. Marco Aurélio

    Um ótimo podcast, espero que façam programas sobre o underground americano dos anos 80 (de Big Black até o X? Quem sabe…).

    Responder
    1. rubens queiroz

      Corrigindo: não tinha ouvido o podcast, sempre sugeri Cramps tanto aqui como na revista. Mas faltou citar o disco Psychedelic Jungle que no CD vem junto com o Gravest Hits, pra mim é o melhor, parece até uma coletânea. E como pesquisa sobre a pré influência do Cramps (kkkk) vale a pena ouvir a compilação “Lux and Ivy’s Favorites”.
      abcs

      Responder
      1. Ricardo Alpendre

        Sim, os Cramps são um festival de referências, algo como um Tarantino do rock. Jack White também é assim, e tem como ídolo outro mestre da tosqueira rock’n’roll: Dexter Romweber, do Flat Duo Jets.
        Gosto do Psychedelic Jungle e também do EP Gravest Hits, mas nenhum dos dois está entre meus preferidos.

        Responder
  2. william peçanha

    Pessoal,
    The Cramps, nunca ouvi e vou continuar assim (não se pode GOSTAR de tudo… Mas se pode desgostar de alguma coisa… como quiabo, por exemplo).
    Gene Simmons… Não é à toa que está muito rico… Aproveita qualquer vácuo e ganha alguns dólares em cima… José, podes ter certeza de que algum maluco (tem gente MAIS maluca que o Simmons) vai bancar esse registro… Desimportante!
    (Alguém avisa à Wendy Dio que estão querendo ganhar uns trocados em cima do que o Dio diz ter criado, por favor… Se ela tretou com o babaca do Vivian Campbel com certeza vai tretar com o babaca do Simmons!!).
    O programa é que está muito bom (mesmo com um assunto como os Cramps).
    Abraço a todos e em cada um.

    Responder
  3. Caio Alexandre Bezarias

    ‘Programa ter descido o nível’ foi ótimo!!!
    Cramps é algo como um fast food do rock: não é nutritivo para a cabeça, no sentido mais ‘artístico’ ou ‘´sério’ , mas é legal pacas.
    ‘Seasons’, do Magna Carta é um discaço, obra-prima.

    Responder

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *