Gracious!

Quem assinou a capa do oitavo lançamento do cultuado e respeitado selo swirl da Vertigo foi o lendário Barney Bubbles.

por Bento Araujo     11 maio 2016

Gracious pzGracious!
(Vertigo, 1970)
Design: Barney Bubbles (Teenburger Designs)

Quem assinou a capa do oitavo lançamento do cultuado e respeitado selo swirl da Vertigo foi o lendário Barney Bubbles (verdadeiro nome: Colin Fulcher), que em 1970 dirigia um estúdio/coletivo chamado Teenburger Designs. Bubbles ficou famoso pelo seu traço radical e enigmático e pelas suas capas recheadas de simbologias, o que casou perfeitamente com a música progressiva e melódica do Gracious!.

Em 1970, a Vertigo lutava para se estabelecer no underground britânico, mas já havia inovado artisticamente, criando capas assustadoras e curiosas como aquelas utilizadas nos discos de estreia dos grupos Colosseum, Black Sabbath e Cressida.

Para a estreia do Gracious!, Barney Bubbles criou algo extremamente minimalista, um ponto de exclamação situado por cima de um fundo branco texturizado, o nome da banda no canto superior direito, a logomarca definitiva da Vertigo no canto superior esquerdo e nada mais. A explosão de cores surgia somente na parte interna da capa dupla do elepê, uma pintura pop art inspirada em Richard Hamilton.

O contraste da capa minimalista e p&b com a parte interna colorida e saturada era interessante, algo já utilizado pelo Cream em Wheels Of Fire (1968), mas levado ainda adiante por Barney Bubbles e pelo Gracious!.

O Gracious! acabou não resistindo ao turbulento caminho do prog britânico e, depois de apenas mais um disco em 1971, encerrou suas atividades. No entanto, a capa do disco de estreia do grupo vem atravessando décadas e chamando atenção tanto de colecionadores de discos como de designers gráficos.

Já Barney Bubbles teve uma carreira agitada nos anos 70, geralmente evitando assinar seus trabalhos e utilizando inúmeros pseudônimos. Foi desenhar capas incríveis de artistas e bandas como Hawkwind, Ian Dury, Brinsley Schwarz, Red Dirt, Kevin Coyne, Edgar Broughton Band, Quiver, The Damned, Elvis Costello etc. Em 1983, sofrendo de depressão e distúrbio bipolar, ele cometeu suicídio asfixiando-se com um saco plástico.

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *