poeiraCast 454- Os melhores discos de 1970
por Bento Araujo 04 nov 2020

Hoje nossa conversa é sobre o rock e a música em geral há 50 anos, em 1970.

Ouça o poeiraCast também pelo Spotify, Deezer, iTunes e diversos apps de podcast.

Preparamos uma playlist que serve como trilha sonora para este episódio, com músicas que indicamos durante o programa. Ouça aqui!

Depois de onze anos de estrada e mais de 450 episódios online, o poeiraCast precisa do seu apoio para continuar no ar. Seja um assinante/apoiador do poeiraCast e faça parte desta história. Para realizar o seu apoio e saber mais sobre as recompensas, acesse catarse.me/poeiracast

Importante: o poeiraCast somente irá continuar se atingirmos a meta mínima da campanha.

Agradecimentos especiais aos apoiadores:

André Gaio, Antonio Neto, Bruno Pugliese, Caio Bezarias, Carlos Albornoz, Claudio Lojkasek, Claudio Rosenberg, Eduardo Alpendre, Ernesto Sebin, Fabiano Forte, Felipe de Paula, Fernando Padilha, Flavio Bahiana, Hélio Yazbek, Herval Cassiano Domingues, Janary Damacena, João Martins, Lindonil Reis, Luís Araújo, Luís Porto, Luiz Paulo Jr., Marcelo Moreira, Marcelo Zarra, Marcio Abbes, Marcos Cruz, Marcos Oliveira, Matheus Pires, Mauricio Pires, Miguel Brochado, Nei Bahia, Oscar Neto, Pedro Furtado Jr, Rafael Campos, Raul dos Santos, Ricardo Nunes, Rodrigo Acrdi, Rodrigo Lucas, Vagner dos Santos, Vandré dos Santos, Victor Bernardes, Wilson Rodrigues, Zózimo Fernandes.

Baixe esta edição do poeiraCast
  1. Eduardo Ferreto

    Pessoal, imaginem só um disco triplo dos Beatles em 1970, com uma seleção de músicas do Let It Bê e dos 4 discos solos. Daria até pra fazer um programa discutindo como seria esse discos e quais músicas poderiam ser incluídas.

    Responder
  2. Caio Alexandre Bezarias

    Ha ha ha! Vocês acham que nos enganam? Falam que estão fazendo um programa por mês, mas cada um destes equivale a dois ou três ( como este, excelente, talvez o melhor desta fase) da fase anterior, ou seja, na prática o podcast tornou quinzenal, quase semanal (obrigado!!!!).
    Bem, o que alguém que tem o grupo liderado por Ianderson como seu favorito pode achar da pérola” só um palhaço para não gostar de Jethro Tull”, rs rs – só para limpar minha barra: adoro Hawkwind, também está entre meus grupos mais queridos.
    Foi hilário ouvir que o José “traiu o movimento”, uma fala bem típica dos primeiros anos do podcast, em que vocês eram mais debochados e zoavam mais uns aos outros.
    Grande abraço a todos, continuem firmes e fortes, se cuidando.

    Responder
  3. Rodrigo Otávio

    Sérgio Alpendre é o do “contra”. O melhor disco do Pink Floyd, consenso, é o TDSOFM (1972), mas ele acha o melhor o AHM (1970). O melhor do Deep Purple é o MH (1972), mas ele prefere o Fireball (1971), e por aí vai, com todas as bandas que são analisadas, para dar uma de “diferentão”. Parece aquele personagem do Luís Fernando Veríssimo, o “outrista”, aquele que diz que “não é o Pelé o melhor jogador, na verdade é o irmão do Pelé que era o craque”, só para contrariar.

    Responder
    1. Sérgio Alpendre

      ahan, sabichão. Descobriu meu truque. Puxa, que gênio. Ser diferentão é tudo que eu quero na vida. Na verdade, quem me conhece e presta atenção no que falo sabe muito bem que não tem nada a ver seu comentário, e que inclusive já reclamei disso em algum programa. Eu poderia responder com um monte de preferidos óbvios que eu tenho (“todas as bandas que são analisadas” é tipo frase de mané), mas estão espalhados pelos programas, não vale a pena repetir. Agora, se ser outrista é falar exatamente qual é o meu preferido, seja óbvio ou não, sou outrista com louvor (por sinal, meu preferido do PF é o Meddle, que é óbvio tb, e Fireball tb é óbvio, pois é da fase clássica, um dos três maiores clássicos do DP). Só não te considero um hater porque haters costumam ser fascistas, e vc, pela imagem que te acompanha, parece lutar contra o fascismo. Nessa estamos juntos. Mas no seu comentário, meu caro, errou feio. Ainda mais porque é meio tolo estabelecer qual é o melhor de cada banda e chamar de diferentão quem não obedece a esse critério fuleiro.

      Responder

Faça um comentário Eduardo Ferreto Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *