poeiraCast 449 – Bandas de apoio
por Bento Araujo     03 jun 2020

Neste episódio conversamos sobre alguns dos grupos que ficaram conhecidos acompanhando grandes artistas do rock e da música pop em geral.

Ouça o poeiraCast também pelo Spotify, Deezer, iTunes e diversos apps de podcast.

Depois de mais de dez anos de estrada e mais de 440 episódios online, o poeiraCast precisa do seu apoio para continuar no ar. Seja um assinante/apoiador do poeiraCast e faça parte desta história. Para realizar o seu apoio e saber mais sobre as recompensas, acesse catarse.me/poeiracast

Importante: o poeiraCast somente irá continuar se atingirmos a meta mínima da campanha.

Agradecimentos especiais aos apoiadores:

André Gaio, Antonio Neto, Bruno Pugliese, Caio Bezarias, Carlos Albornoz, Claudio Lojkasek, Claudio Rosenberg, Eduardo Alpendre, Ernesto Sebin, Fabiano Forte, Felipe de Paula, Fernando Padilha, Flavio Bahiana, Hélio Yazbek, João Martins, Lindonil Reis, Luís Araújo, Luís Porto, Marcelo Moreira, Marcelo Zarra, Marcos Cruz, Matheus Pires, Mauricio Pires, Miguel Brochado, Nei Bahia, Pedro Furtado Jr, Rafael Campos, Raul dos Santos, Rodrigo Lucas, Vagner dos Santos, Vandré dos Santos, Victor Bernardes, Wilson Rodrigues, Wilson Tortorelli, Zózimo Fernandes.

Baixe esta edição do poeiraCast
  1. Nei Carvalho Bahia

    A Cor do Som que teve carreira, nasce quando Moraes Moreira precisa de um grupo para acompanhá-lo nos shows da carreira solo. A cor do som citada no encarte dos discos dos Novos Baianos é mais um devaneio poético de Galvão. Vale a consulta a biografia de Dadi.
    Obs: A banda de Caetano no Velô era chamada simplesmente Banda Nova.

    Responder
  2. Fantasma do Brian Jones

    Muito bom o programa. Única banda de apoio que senti falta foram os Attractions, do Elvis Costello. Interessante a teoria do José sobre os Stones serem subestimados. Concordo e acho que isso merece um programa. Tenho a impressão que isso acontece mais no Brasil do que em outros países, e vocês? Parece que por aqui é um grupo que todo mundo simpatiza, mas pouca gente gosta de fato. Show dos Stones em São Paulo parece balada, cheio de famosos e perdidos tirando foto. E o curioso é que na Argentina é totalmente o contrário, os argentinos tratam a banda como um time de futebol e parecem uma torcida organizada. Se eu fosse o Mick Jagger teria feito um filho argentino, o Brasil não merece meu DNA hehehehe. Abraços

    Responder
  3. Lucas de Melo

    Bom dia, mestres.

    Concordo com o José quanto ao War ter sido banda de apoio do Eric Burdon, até porque álbuns clássicos do War “solo” como The World is a Ghetto só vieram depois dos álbuns com o Eric. Antes de se juntarem ao Eric, eles também eram banda de apoio de outros artistas.

    Abraços!

    Responder
    1. Ricardo Alpendre

      Boa lembrança o Toto. Mais pelo conjunto da obra, talvez, do que por acompanhar em um álbum, né? Mas não há a tentativa de citar todas as bandas. Acho que o foco esteve mais em bandas associadas pra sempre a um artista, por isso o Crazy Horse acabou tendo um status de, digamos… headliner =D

      Responder

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *