poeiraCast 407 – O Rock Progressivo em 1969
por Bento Araujo     03 abr 2019

1969: ano zero do prog? Os álbuns lançados cinquenta anos atrás apontando para uma sonoridade progressiva, alguns até considerados modelos perfeitos do estilo, são nosso assunto principal desta semana.

Torne-se um apoiador do poeiraCast e ajude a manter o podcast semanal da poeira Zine no ar. Saiba mais clicando AQUI.

Agradecimentos especiais aos apoiadores: Caio Bezarias, Carlos Albornoz, Claudio Rosenberg, Felipe de Paula, Flavio Bahiana, Lindonil Reis, Luis André Araujo, Luis Kalil, Luiz Paulo Jr., Marcio Abbes, Marcos Cruz, Mauricio Pires, Pedro Furtado Jr., Rodrigo Lucas, Rossini Santiago Wilson Rodrigues e Zozimo Fernandes.

Baixe esta edição do poeiraCast
  1. Rafael Dornellas

    Parabéns pelo programa! Coisa fina.

    Meu preferido do King Crimson é o “Red”, ou o “Larks” dependendo do dia. Mas em qualquer lista dos melhores do gênero ou da banda o “In the court…” teria que aparecer. Com certeza uma das maiores estreias do rock.

    Também amo o primeiro do Yes, Sérgio!

    Abraços!

    ps.: volta “cruza na área”! rs

    Responder
  2. Caio Alexandre Bezarias

    Ótimo programa, explorar as várias vertentes do gênero que apareceram em tantos discos ótimos deste ano mágico daria umas cinco edições do programa!
    Bela sacada considerar o primeiro do King Crimson não o primeiro disco prog, mas a declaração de princípios do gênero. Dá inclusive para fazer um paralelo com o heavy metal: assim como este já existia antes do Black Sabbath, que o formatou em um estilo e imagem acabados e o lançou ao mundo, a trupe de Fripp fez o mesmo com o progressivo. Mas que o gênero já existia antes, desde 67, inegável: days of future passed e the piper at the gates of dawn já continham, um tanto não-acabados, primários ainda, muitos elementos que a maioria dos grupos prog exploraria e desenvolveria mais à frente.
    Sérgio, obrigado por lembrar o primeiro do Renaissance, uma obra-prima de chorar, de ouvir ajoelhado. A única explicação possível para essa joia ser tão esquecida é Annie Haslam ser uma cantora tão maravilhosa que os discos feitos com ela eclipsaram, esmagaram esse.
    E Hot Rats, não consideram nem um pouco progressivo?
    Grande abraço a todos.

    Responder
  3. monica

    Esclarecendo os pontos:

    1. É o poeiracast 10 mortes bizarras do rock, o BadFinger é citado aos 11:53 fase Xando Zupo;

    2. No Poeiracast 369 sobre UFO tem um comentário da Jossiane Andrade;

    3. No facebook do Poeira tem comentários de mulheres;

    4. Sim, eu existo.

    Responder
  4. Moises Morales

    boa noite , o programa rock progressivo 69 foi sensacional , concordo que o disco do king crimson é um marco do rock progressivo, mas acredito que o The Nice , Moody blues e Procol Harum começaram tudo em 67, Parabéns ao livro do Bento , esperamos outros. Sucesso.

    Responder
  5. Isidoro Hofacker dos Santos Jr

    Gostaria de dar os parabéns para o Sérgio Alpendre, por demonstrar sua indignação com os fatos ocorridos durante o incêndio da favela aqui em São Paulo – Não podemos ficar só assitindo os absurdos que estão à nossa volta como se não nos afetassem!!! Tomar posição também é “rock”

    Responder
  6. Rodrigo Otávio

    Também quero dar meus parabéns ao Sérgio Alpendre pelos seus comentários sobre o que está acontecendo no país, citando o lamentável incidente da favela em São Paulo. Não adianta achar que a música está apartada destes momentos trágicos que a população, principalmente a mais pobre, está enfrentando.

    Responder

Faça um comentário Caio Alexandre Bezarias Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *