poeiraCast 376 – Melhores discos de 1988
por Bento Araujo     11 jul 2018

E aqui vamos nós com os grandes álbuns que estão completando 30 anos de idade neste 2018!

Torne-se um apoiador do poeiraCast e ajude a manter o podcast semanal da poeira Zine no ar. Saiba mais clicando AQUI.

Agradecimentos especiais aos apoiadores: Artur Mei, Bruno Santos, Caio Bezarias, Carlos Albornoz, Claudio Rosenberg, Dario Fukichima, Evandro Schott, Flavio Bahiana, Lindonil Reis, Luis Araujo, Luis Kalil, Luiz Paulo, Marcio Abbes, Marco Reis, Marcos Oliveira, Pedro Furtado, Rodrigo Teixeira, Rossini Santiago, Rui Silva, Válvula Lúdica e Wilson Rodrigues.

Saiba como ganhar um CD na promoção poeiraCast/fonesdeouvido.com.br escutando este episódio do programa!

Baixe esta edição do poeiraCast
  1. Gabriel Fernandes

    Alberto Radius é gênio! Muito bem lembrado pelo Mestre José! Foi no disco “Radius” que Giulio Capiozzo, Demetrio Stratos ( o maior de TODOS – o mundo ainda concordará comigo) e o grande Patrick Djivas gravaram juntos pela primeira vez. Na minha opinião, um divisor de águas da música italiana! Uma curiosidade mais sobre este disco: enquanto Stratos está presente em duas das canções do disco, a única que eles tocam juntos se chama “Area”. Depois daí, o resto é história, amigos!

    Um fraternal abraço catarinense!

    Responder
  2. GERALDO SALDANHA FILHO

    Excelente programa. LIVING COLOUR – VIVID é um dos álbuns de estréia mais FENOMENAIS de todos os tempos. O impacto musical que esses 4 caras causaram na minha vida foi marcante. 4 negros tocando ROCK com pitadas de FUNK, JAZZ, BLUES e muito mais. Som totalmente novo e original prá época. Tenho TODOS os cds/dvds originais e uma porradaaaaaaa de bootlegs também. E o Operation: MINDCRIME é outro marco, um dos meus discos de cabeceira.

    Responder
  3. Parffit Jim Balsanelli

    Faltou citar o álbum mais marcante de 1988: “All Or Nothing”, da dupla de dubladores Milli Vanilli! hahahaha

    Falando sério (ou nem tanto), alguns álbuns interessantes e/ou importantes, além dos citados:
    * The Jeff Healey Band – “See The Light” (estréia desse mestre da guitarra)
    * Screaming Trees – “Invisible Lanterns” / Soundgarden – “Ultramega OK” (primórdios do grunge)
    * Morrissey – “Viva Hate” (1º álbum solo após fim dos Smiths)

    Ah, sem esquecer dos preferidos do Cadinho: Manowar – “Kings Of Metal”…hehehe

    Responder
    1. Ricardo Alpendre

      Putz, eles já estavam nesse disco em 1988? Acho que em nem me liguei desse. Nessa época eu não acompanhava mais o Manowar, e ainda não tinha reconhecido o valor deles como banda cômica! =D

      Responder
    2. Isidoro Hofacker dos Santos Jr

      Esse 1o. do Jeff Healey tem simplesmente a melhor releitura de uma música dos Beatles – O Cara criou a “verdadeira” While my guitar gently weeps” – Depois dele só o Gov’t Mule conseguiu algo parecido em “She Said”

      Responder
  4. Caio Cesar Braguin Ramos

    Ótimo programa!
    Excelente recomendação do Dirty Computer da Janelle Monáe, um dos grandes discos de 2018 até agora!
    Jon Hiseman foi um grande baterista. Toco bateria e curto muito o trabalho dele em todos os discos que gravou, especialmente com o Jack Bruce.
    1988 tem grandes discos, embora seja mais fraco em relação aos outros anos abordados no poeiraCast. Alguns dos meus favoritos do ano são:
    Living Colour – Vivid.
    Sonic Youth – Daydream Nation.
    The Traveling Wilburys Vol. 1.
    Morrissey – Viva Hate(grande disco do Morrissey que não foi citado no cast).
    Public Enemy – It Takes a Nation of Millions to Hold Us Back
    Acompanho o poeiraCast há alguns meses, mas nunca comentei por aqui. Tenho 14 anos, e acho que fujo um pouco da faixa etária da maioria dos ouvintes do programa hahaha. Continuem com esse excelente Podcast!
    Abraço!

    Responder

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *