poeiraCast 342 – Letras de música: importam ou não?
por Bento Araujo     06 set 2017

Existem grandes músicas que têm grandes letras; outras, nem tanto, ou até podem ser consideradas fracas nesse quesito. As letras fazem diferença para que as composições sejam melhores, ou piores?

Torne-se um apoiador do poeiraCast e ajude a manter o podcast semanal da poeira Zine no ar. Saiba mais clicando AQUI.

Agradecimentos especiais aos apoiadores: Alexandre Guerreiro, Artur Mei, Caio Bezarias, Carlos Albornoz, Claudio Rosenberg, Dario Fukichima, Ernesto Sebin, Evandro Schott, Flavio Bahiana, Luigi Medori, Luis Araujo, Luis Kalil, Luiz Paulo, Marcio Abbes, Pedro Furtado, Ricardo Nunes, Rodrigo Lucas, Rodrigo Teixeira, Ronaldo Nodari, Rubens Queiroz, Scheherazade, Sebastião Junior, Sempre Música, Tropicália Discos, Válvula Lúdica e Wilson Rodrigues.

edifier

Baixe esta edição do poeiraCast
  1. william peçanha

    Ponto para a análise do José sobre Elton X Bernie Taupin (mesmo sendo um intrinsecamente dependente do outro, houve uma ruptura lá nos anos oitenta em que um ou dois álbuns em que eles não trabalharam juntos foi pobre de hits e beleza, só discordo quanto à menção ao Neil Peart: as músicas que Geddy Lee e Alex Lifeson criam PEDEM aquelas letras).
    Outro ponto sobre a “complexidade” de se gostar (e ENTENDER!!) de Bob Dylan, deve ter lá sua importância (mesmo agora com essa birra de velho mimado em se recusar a receber o Nobel de Literatura, pura babaquice ao meu ver) e influência, mas tem melhores (me passa outro pela cabeça: Neil Young!).
    Ponto para o Ricardo na análise sobre o Queen, li um livro sobre os caras e minha admiração cresceu muito com respeito aos caras (a despeito – que trocadalho!!! – da infinita e irritante e intolerante histeria comportamental do tal Freddie Mercury – o melhor vocalista do rock).
    Ponto para o Sérgio quanto ao comentário sobre as letras do Zeppelin em particular e bandas de rock pesado em geral no que se remete à letras, na maioria, sem nexo.
    Quanto ao cruza, não sou de sair daqui de Cataguases para ir à shows mas dos vídeos que tenho acho o mais sensacional a abertura da turnê Black Ice do AC DC (naquele vídeo gravado na Argentina, o tal “Live at River Plate”)… Ponto também.
    Entre tantos pontos, muitos abraços em todos e em cada um e outro muito especial para o Bentão, dona Carol e a pequena Lorena.

    É isso.

    Responder
    1. Ricardo Alpendre

      Obrigado, William!
      Esse vídeo do AC/DC no River Plate é uma coisa capaz de deixar torcedor de qualquer outro clube do mundo com inveja!

      Responder
  2. Roberto Arara

    esse foi por varios motivos meu podcast favorito dos 342, até agora. vou ter de escrever varias mensagens, pois são varios topicos diferentes para analizar ou comentar.o tema importantissímo, independente de opiniões pró ou contra, pois acredito que quase sempre o artista quer passar alguma coisa, seja pessoal, social, critica,politica, religiosa,seja o que for, e isso é a letra, aí ele tem de botar uma música tão boa quanto pra difundir sua mensagem. não consigo dissociar nem minimizar uma e outra, (letra e música)

    Responder
  3. Roberto Arara

    Ricardo, deixa eu te falar do Philip Long, garoto superjovem, vinte e poucos anos, meu amigasso aqui de Araras, filho de grande amigo meu das antigas, que trabalha na secretaria de cultura aqui de Araras, e que com certeza foi quem mais influenciou o Phillip a ter essa qualidade enorme que ele tem como compositor, ele passou a infancia ouvindo a coleção de discos do pai: Dylan, Neil Young, Simon & Garfunkel, Frank Zappa, Cat Stevens, Van Morrison, Donovam, etc, etc, e principalmente sua maior influencia Nick Drake, fora os brasileiros , claro, e um dos maiores orgulhos dele é contar que o pai estava fazendo um trabalho com O Hermeto Paschoal, e a mãe estava de 9 meses esperando ele, e o Hermeto fez uma benção especial para ele na barriga da mãe. bem ele é um cara muito diferenciado, tem um sensibilidade absurda, compóe como uma maquina, com muita qualidade, em ingles ou portugues, ontem, 7 de setembro ele lançou seu 13 album, todos autorais. sei que to falando como fã, e eu sou muito, mas ele merece muito ser conhecido, principalmente por pessoas como voces que conhecem musica de qualidade , sabem bem separar o joio do trigo, o trabalho dele é muito acima da media. mas acima de tudo ,ele é de uma humildade cativante, uma simplicidade fora do comum em pessoas do meio. No aniversário da minha filha, ele fez um pocket aqui em casa de presente pra ela.quando vc for procurar a discografia dele, ele tem dois singles com foto em P&B de uma garota lindissima na capa, é a minha filha. é mole? duas capas.

    Responder
  4. Roberto Arara

    agora sobre o tema principal. Bem, cada música conta uma história, isso é fato, se é uma boa história, e se ela é bem contada, isso já é outro caso, e isso é que separa os grandes dos medios e dos pequenos. cada um conta do seu jeito, impossivel esquecer de letras do Dylan ou do Neil Young, quando estão inspirados, assim como de muitos outros , mas vamos ficar só no Brasil, o que falar de caras como o Chico? se ele tivesse feito só Mar e Lua, ele já seria gigante, essa letra me assombra até hoje. Caetano, Gil, Gonzaguinha, Ednardo, Vandré, Ivan Lins, a lista é enorme, e Belchior, só as letras dele são um universo a parte, e Zé Ramalho, Vital Farias, Geraldo Azevedo,Taiguara, João Bá, Catia de França, e o Maior de todos ELOMAR FIGUEIRA MELLO, o que falar de um cara desse? boa parte de tudo que fizeram nem precisaria de melodia, só as letras os teriam imortalizado como verdadeiros gigantes da nossa era.E não posso deixar de citar Itamar Assumpção, qualquer adjetivo que se use para descreve-lo não faria jus ao tamanho e importancia dele. E os mineiros, meu Deus, não vou nem começar a falar deles, senão não termino nunca, felizmente temos esse tesouro a nossa disposição .

    Responder
  5. Roberto Arara

    pra encerrar o assunto, eu,como amo progressivo, tenho inumeros discos preferidos, já disse aqui uma vez, se eu tentasse fazer um top 5 ou top 10 minha lista teria pelo menos uns 400 que não poderiam ficar de fora de jeito nenhum, ia ter de apelar igual voces, o Jose faz top 3, o Ricardo ,top 5, o Bento top 7, o Sergio top 14, eu ia fazer top 413.E progressivos costumar ter letras mais caprichadas Vou citar dois discos especificos , voces falaram do Queen, o Night at the Ópera, pra mim, não precisava de musica , poderia ter sido lançado em livro,como contos, e teria sido genial. outro é o Hope , do Klaatu. aquela viagem interplanetária absurda, durante muito tempo foi meu disco progressivo preferido. Ah ,sim, pra mim o Night at Opera é o disco progressivo do Queen, pode até fazer sentido só pra mim, mas voces estão acostumados com isso tambem, com coisas que parecem só fazer sentido pra voces, alias isso é o que eu mais curto no programa, o inusitado.

    Responder
  6. Roberto Arara

    E pra encerrar de vez, uma pérola, que já usei algumas vezes, apesar de absolutamente nunca ter concordado com ela. o autor dessa jóia é um amigo meu desde os tempos de garoto e que alguns de voces conhecem, o Donizete Barbosa, dono da Donidistro, vocalista dos Mentecaptos Eróticos, alias foi com ele que eu peguei os poeira zine desde o numero 0. quando eramos garotos e ouviamos muito rock pesadissimo, sempre que alguem falava sobre importancia de letra de música, ele dizia: SE EU GOSTASSE DE LETRA EU COMPRAVA LIVRO NÃO DISCO. sei lá , achei que tinha tudo a ver com o tema de hoje. Valeu caras hoje foi demais.

    Responder
  7. fernando

    Se me permitem uma sugestão: quando postarem o podcast bem que vocês poderiam colocar no site abaixo do arquivo o que andas ouvindo, porque às vezes fica dificil entender um nome de banda ou disco. Enfim, é uma sugestão!

    Responder
  8. Diogo Maia de Carvalho

    Olha, se as letras fossem importantes pra mim eu não seria fã de AC/DC e Kiss. É óbvio que um conteúdo bacana valoriza muito a música, mas nunca foi essencial, pelo menos na minha opinião.

    Responder

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *