poeiraCast 421 – Power ballads
por Bento Araujo     10 jul 2019

Depois de tentarmos chegar a um consenso sobre o que são power ballads, falamos sobre algumas dessas “baladonas” do rock, no nosso assunto da semana.

Agradecimentos especiais aos apoiadores: Caio Bezarias, Carlos Albornoz, Claudio Rosenberg, Ernesto Sebin, Evandro Schott, Felipe de Paula, Flavio Bahiana, João Roberto Tayt, Luis André Araujo, Luiz Paulo Jr., Marcio Abbes, Marco Aurélio, Marcos Cruz, Ricardo Nunes, Rossini Santiago e Válvula Lúdica.

Baixe esta edição do poeiraCast
  1. Leandro César

    Parabéns pelo podcast e pelo tema… Sei que vai muito da opinião da galera e também não se consegue lembrar de todas, mas deixo aqui algumas “Power Ballads”:

    Wasted Time – Skid Row
    Say Hello 2 Heaven – Temples Of The Dog
    Wasting Love – Iron Maiden
    Return To Serenety – Testament
    Makes Believe – Angra
    A Tout Le Monde – Megadeth

    Responder
  2. Roberto Arara

    Salve galera do poeira.Ah, as baladas, se nao fossem elas acho que eu nem era rockeiro. As baladas sempre são as musicas mais bonitas das bandas.Nem dá pra listar ,todas as bandas tem baladas,são milhares e milhares de jóias genialmente lapidadas.mas eu senti a falta de uma banda em especial,que eu sei que voces todos gostam muito,e que tem as baladas mais power e mais maravilhosas de todo o rock, o BUDGIE, o meu top5 é todo so de musicas deles.nem precisa citar os nomes, são todas fodas. valeu galera, abraços e até quarta que vem.

    Responder
  3. Caio Alexandre Bezarias

    Salve, equipe do Poeira Cast.
    Acrescento à lista duas power ballads de grupos de metal(aliás, quando grupos do gênero se metem a fazer baladas, sai de baixo!! Maravilhosas, muitas vezes – Fade to black é uma das cinco maiores ‘power ballads’ de todo o rock):
    – Defender – do Manowar(grupo com o qual a maioria da mesa, aparentemente, antipatiza ) – mas um exemplar do gênero com tudo que ele deve ter;
    – To be Demon – do Loudness (do primeiro disco)- essa é,no máximo, uma ‘semi power ballad’ – as partes aceleradas, bem speed metal, imperam, mas as partes lentas e mais emocionais seguem à risca os mandamentos do gênero(ou subgênero?)
    Grande abraço a todos.

    Responder

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *